Meio ambiente

Um modelo de preservação do meio ambiente

A Igreja Messiânica Mundial do Brasil, por meio do Solo Sagrado de Guarapiranga, implantou um sistema de Gestão Ambiental. Sua política ambiental está fundamentada na filosofia de Mokiti Okada e se compromete com a melhoria contínua, a busca de sustentabilidade, a prevenção da poluição, a preservação da fauna e da flora locais e o desenvolvimento da educação ambiental.

Uma reserva florestal na cidade grande

Do terreno original do Solo Sagrado, mais de 10 hectares (100.000 m²) de floresta nativa foram preservados. Ao mesmo tempo, mais de 50 mil árvores foram plantadas em toda a área paisagística. Foram igualmente encontradas várias espécies: pau­-brasil, pau-­ferro, pau-­mulato, ipê, manacá-da-serra, cássia, canela, peroba, palmito, jabuticabeira, goiabeira, cerejeira, quaresmeira, bromélia, orquídeas etc.

Um habitat ideal para os animais silvestres

O Solo Sagrado constitui um ótimo local para a preservação de várias espécies, até algumas ameaçadas de extinção. Nele têm sido soltos diversos animais silvestres. O trabalho é desenvolvido com o Departamento de Parques e Áreas Verdes de São Paulo (DEPAV), através do Setor de Soltura de Aves Silvestres, e conta com o apoio do Setor de Meio Ambiente do Solo Sagrado.

Muitas aves são encontradas no Solo Sagrado, tais como: bem­-te­vi, joão-­de-­barro, quero­-quero, garça, gavião, sabiá, sanhaço, canário-da-terra, beija-­flor, periquito, coruja etc., além do pavãozinho­-da-­mata, espécie ameaçada de extinção.

Encontramos, ainda, vários animais como esquilo, caxinguelê, macaco, preguiça, tatu, quati e outros.

Águas pluviais e pavimentações

Os pavimentos das ruas foram construídos com blocos intertravados. Esses blocos são assentados sobre o solo compactado, que recebe uma camada grossa de areia. Dessa forma, parte da água da chuva se infiltra no solo, diminuindo assim a possibilidade de enchentes e erosões.

Em todos os pisos e pavimentos externos há rede de captação de águas pluviais. A água que não se infiltra no solo, através dos pisos intertravados, é colocada através de galerias que chegam aos canais que descarregam na represa de Guarapiranga. Foram construídas escadarias hidráulicas, para haver o mínimo de impacto das águas sobre a represa.

Águas e efluentes sanitários

O Solo Sagrado está localizado à margem sul da represa de Guarapiranga, região da Mata Atlântica e considerada área de mananciais. Uma parte significativa da população de São Paulo utiliza água dessa represa.

Pensando nisso, o Solo Sagrado construiu uma estação elevatória de esgoto e uma rede de tubulação de 6 km de extensão, para evitar os efluentes até a rede estadual de tratamento.

Toda água utilizada no Solo Sagrado é proveniente de poços artesianos, não sendo consumida água da represa de Guarapiranga.

Resíduos de Jardinagem e Cultivo Orgânico

No Solo Sagrado, os resíduos de jardinagem, como galhos e aparas de grama, são depositados em um local específico. Com o passar do tempo, esses materiais, através da ação natural de macro e microrganismos, se transformam em húmus, que, por sua vez, é utilizado como adubo no preparo dos jardins. Isto se dá porque, dentro do Solo Sagrado, não se empregam adubos químicos nem agrotóxicos.

Viveiro de flores

O viveiro de flores do Solo Sagrado produz aproximadamente 70 mil mudas de flores por mês utilizadas para manter o local sempre florido, em todas as épocas do ano. São utilizadas sementes importadas para padronizar a produção.

Por ser um viveiro certificado para o cultivo de flores orgânicas, não é utilizado nenhum tipo de fertilizante, adubo químico ou pesticida.

Educação ambiental

No Solo Sagrado, a educação ambiental é transmitida aos visitantes de várias formas: visitas guiadas, filmes, exposições, oficinas etc. Muitas escolas e universidades organizam visitas ao Solo Sagrado para que seus alunos visualizem um modelo de preservação do meio ambiente.